Ficheiros Recônditos

Porque sempre que falamos, o nosso pensamento é adulterado, é meio-assassinado. Porque a palavra nem sempre exprime o pensamento e porque o pensamento nem sempre dá voz ao sentimento. Estas são as minhas palavras ocultas.

sábado, outubro 1

A vida é mesmo assim: um emaranhado de coisa nenhuma, de teias que uma pessoa não se lembra onde começa, o meio é uma pergunta retórica, e o fim a gente deseja que não apareça mas, por outro lado, seria esclarecedor. Vai-se fiando... Um dia quem sabe...

terça-feira, agosto 23

fim

Este não tem sido decerto um Verão de escrita em neste blog. A minha escrita tem sido outra, outras até. E como tudo vai mudar, porque não este espaço?! Faz todo o sentido. Darei notícias, a partir de outra cidade, de outro blog. Entretanto, o melhor para todos. Um abraço.

terça-feira, agosto 9

Está um dia tão lindo. Chuva de Verão no coração...

segunda-feira, julho 11

Só para não dizerem que não ando a fazer nada...

Nada é uma palavra muito ambígua. Digamos que agora tenho tido tempo para fazer nada e tudo. Ontem, por exemplo, um dia muito produtivo: vi televisão, continuei a devorar Sepúlveda, fui jantar à Fuseta com uns amigos, fartei-me de passear com o meu irmão, fiz um piercing e vi umas quantas séries na televisão e um dvd. Querem que fale das tarefas domésticas? Ainda assim, a teimosa sensação de não andar a fazer nada. Só espero que ela persista...

segunda-feira, julho 4

Vacations

As minhas sinceras desculpas pela falta de actualização. Desde que entrei de férias, tenho estado ocupada, extremamente ocupada... a relaxar e a fazer o que me apetece, o que, por vezes, significa que não faço nada de nada. Vai ser mais complicado postar com alguma frequência, por diversas razões. Ainda assim, sempre que puder, aproveitarei para o fazer. A todos um bom Verão.

terça-feira, junho 14

Apontamento para Reflectir

Fidel Castro enviou uma coroa de flores a Álvaro Cunhal.

Morte

Porque é que será que quando morre uma figura pública eis que se lhe juntam mais duas ou três em pouco espaço de tempo? Não me causa grande displicência. São pessoas normais, com a diferença de que marcaram de algum modo a sociedade e o país e, por isso, choradas com mais intensidade ou com maior dimensão, mas facilmente esquecidas pelas outras pessoas normais. A excepção vai para os familiares e amigos, algo que acontece também com o cidadão comum. A minha homenagem vai para, que me perdoem as figuras públicas que nada tenho contra elas, para as pessoas que diariamente morrem sozinhas, em hospitais, nas suas casas (quando as têm), nos lares, nos centros de dia e que não têm ninguém para chorar a sua morte. Há muitas, mais do que pensamos. Quando estive internada, há cerca de 5 anos atrás, e num espaço de dois dias, morreram três mulheres com alguma idade, no quarto onde estava. Sozinhas, tendo-me a mim como testemunha de um último suspiro, uma desconhecida. Vão para valas comuns. Porque até depois da morte há hierarquias e cortejos distintos.

Pedicure ou o post que não interessa ao menino Jesus

Hoje a esteticista teve algum trabalho comigo. Pela primeira vez na vida, tratou-me dos pés. Uma calosidade que andava aqui a chatear. Entre o riso e os pontapés involuntários, ela lá conseguiu fazer alguma coisa. E esta conversa de gaja é mesmo indício de que ando agarrada aos computadores há muito tempo. De outro modo, como é que isto me poderia deixar entusiasmada? Eis o ponto a que cheguei... Depois de amanhã, contudo, e esta poderá ser mais uma informação que não lembra a ninguém serei como o menino Jesus, versão beach, na areia deitada, na areia estendida... Tirarei a coroa de espinhos que pus a mim própria há quatro anos.

domingo, junho 12

Das duas uma: ou estou louca ou estou drogada.

1 - Explique a influência do sistema intestinal das borboletas do Afeganistão na reprodução das carochas quando neva no Brasil, em época carnavalesca.

2 - Faça uma analogia entre as cáries dentárias dos molares, as sevilhanas em Coimbra (no mês de Julho) e o PDM da autarquia de Faro, para a zona universitária da Penha.

3 - Explicite o processo de interacção dos macacos de Gibraltar com o pé-de-atleta nos balneários do S.C.Farense, não esquecendo a importância do modo de vibração do telemóvel Siemens, modelo M55.

4 - Reflicta e teça um desenvolvido comentário sobre as consequ~encias, a nível mundial em geral e no seio da ONU em particular, da picada de uma abelha no pulso esquerdo de G. W. Bush.

5 - Pesquise e justifique a seguinte afirmação: O Capitão Iglo é homossexual; não é gay porque não fez o 9º ano.

Basicamente, estas foram algumas composições que encomendámos aos caloiros. Caloiros esses que já estão a acabar o 2º ano. O tempo voa e eu estou mesmo louca. Se estivesse drogada não estava para aqui a escrever isto. Mas, ao menos, a partir de quarta-feira, sou uma louca na praia, uma louca em Lisboa, uma louca a ler os livros todos a que tem direito, a limpar as camadas de pó aos cd's antes de os ouvir, serei uma louca no Sudoeste e onde for calhando. Em última instância, serei uma louca drogada.